quarta-feira, 25 de dezembro de 2013

Estranha Melodia 05 - Um estranho chamado Noel

Estranha Melodia 05 - Um estranho chamado Noel - Michel Ramalho e Camila Simões

E aí galera!
Primeiramente, muito obrigado a todos que tem visitado os blogs e compartilhado as edições do Estranha Melodia pela web! O apoio de vocês é muito importante pra gente e para a continuação do projeto!
E enfim, antes tarde do que nunca, está pronto! O novo Estranha Melodia está no ar para quem quiser ler, ver, curtir, compartilhar, ou seja lá o que for! :D (disponível também no blog Estranha Noite)
Mais uma vez obrigado a todos que apoiaram o projeto e todos que tem comprado os exemplares impressos, que ajudam a gente na produção de tudo isso! (E quem quiser adquirir algum é só entrar em contato com a gente!)


Boas festas a todos, bom fim de ano, comam bastante e entrem em 2014 bem nutridos e cheios de energia! Ano que vem tem mais Estranha Melodia pra vocês, mas por enquanto aprecie sem moderação, a delicia Natalina que está o volume 5! E  compartilhem com todo mundo! Esse é um conto de Natal que todos os seus amigos merecem ler!





Estranha Melodia 05 - Um estranho chamado Noel - Michel Ramalho e Camila Simões - Apoiadores

terça-feira, 24 de dezembro de 2013

Conheça mais cinco deuses que nasceram de uma virgem num dia 25 de dezembro.



Ele nasceu em 25 de Dezembro, filho de uma virgem. O seu nascimento foi acompanhado por uma estrela no Leste, que por sua vez, foi seguida por 3 reis em busca do salvador recém nascido. Aos 12 anos, era uma criança prodígio nos ensinamentos, e aos 30 anos, ele foi batizado, e assim começou seu ministério.

Ele teve 12 discípulos e viajou com eles, fazendo milagres, tais como curar os enfermos, andar sobre as águas. Ele também era conhecido por vários nomes como: A verdade, A luz, o Filho Adorado de Deus, o Bom Pastor, Cordeiro de Deus, entre muitos outros. Depois de ter sido traído, Ele foi crucificado, enterrado por 3 dias, e então ressuscitou. Você sabe quem foi?

Não, não é Jesus.

Já existia cerca de três mil anos antes de dele.

Estamos falando de Horus, deus da mitologia egípcia.

Hórus, Deus Sol do Egito, por volta de 3.000 a.C, ele é o Sol, antropomorfizado, e a sua vida é uma série de mitos alegóricos que envolvem o movimento do sol no céu. Dos antigos  hieróglifos Egípcios se conheceu muito sobre este Messias solar. Por exemplo, Hórus, sendo o Sol, ou a Luz, tinha como inimigo o Deus “Set” que era a personificação das trevas ou da noite, metaforicamente falando. Todas as manhãs Hórus ganhava a batalha contra Set – quando ao fim da tarde, Set conquistava Hórus e o enviava para o mundo das trevas. Será importante frisar que “Trevas vesus Luz” ou “Bem versus Mal” tem sido uma dualidade mitológica onipresente e que ainda hoje é utilizada a muitos níveis. No geral, a história de Hórus é a seguinte:

Hórus nasceu a 25 de Dezembro da virgem Isis-Meris. O seu nascimento foi acompanhado por uma estrela a Leste, que por sua vez, foi seguida por 3 Reis em busca do salvador recém-nascido. Aos 12 anos, era uma criança prodígio. E aos 30 foi batizado por uma figura conhecida por Anup e que assim começou o seu reinado. Hórus tinha 12 discípulos e viajou com eles, fez milagres tais como curar os enfermos e andar sobre a água. Hórus também era conhecido por vários nomes tais com A Verdade, A Luz, o Filho Adorado de Deus, Bom Pastor, Cordeiro de Deus entre muitos outros. Depois de traído por Tifão, Hórus foi crucificado, enterrado e ressuscitou 3 dias depois. Estes atributos de Hórus, originais ou não, aparecem representados em varias culturas mundiais, e em muitos outros deuses encontrados com as mesmas estruturas mitológicas.

 Attis, de Phyrugia, nasceu da virgem Nana a 25 de Dezembro, crucificado, colocado no tumulo e 3 dias depois, ressuscitou.;


Krishna, Índia, nasceu da virgem Davaki com uma estrela no Ocidente a assinalar a sua chegada, fez milagres em conjunto com os seus discípulos, e após a morte, ressuscita;



Dionísio da Grécia nasce de uma virgem a 25 de Dezembro, fio um peregrino que praticou milagres tais como transformar a água em vinho, e é referido com “Rei dos Reis,” “Filho prodígio de Deus”, “Alpha e Omega”, entre muitas outras coisas. Após a sua morte, ressuscitou.

Mithra, da Pérsia, nasceu de uma virgem a 25 de Dezembro, teve 12 discípulos e praticou milagres, e após a sua morte foi enterrado, e 3 dias depois ressuscitou, também era referido como “A Verdade”, “A Luz”, entre muitos outros. Curiosamente, o dia sagrado de adoração a Mithra era a um Domingo. (Dia do sol)

O que importa salientar aqui é que “existiram” inúmeros salvadores, dependendo dos períodos, em todo o mundo, que preenchem estas mesmas características.

A questão mantém-se: por que estes atributos. Por que o nascimento de uma virgem num dia 25 de Dezembro, por que a morte e a ressurreição após 3 dias, por que os 12 discípulos ou seguidos?

Para descobrir  o por quê vamos examinar o mais recente dos Messias solares.

Jesus Cristo nasceu da virgem Maria num dia 25 de dezembro em Belém, e foi anunciado por uma estrela a Leste, que seria seguida por 3 reis magos para encontrar e adorar o salvador. Tornou-se pregador aos 12 anos, e aos 30 foi Batizado por João Batista, e assim começou o seu reinado. Jesus teve 12 discípulos com quem viajou praticando milagres tais como curar pessoas, andar na água, ressuscitar mortos, e também foi conhecido como o “Rei dos Reis”, o “Filho de Deus”, a “Luz do Mundo”, “Alpha e Omega”, “Cordeiro de Deus” e muitos outros. Depois foi traído pelo seu discípulo Judas e vendido por 30 pratas, foi crucificado, colocado num tumulo, 3 dias depois ressuscitou e ascendeu aos céus.

Primeiro de tudo, a seqüência do nascimento é completamente astrológica.

As estrelas no horizonte Leste é Sirius, a estrela mais brilhante no céu noturno, que, a 24 de Dezembro, alinha-se com as 3 estrelas mais brilhantes no centurião de Orion. Estas 3 estrelas são chamados hoje como também eram chamadas então: “3 Reis”.


Os 3 Reis e a estrela mais brilhante, Siriun, todas apontam para o nascer do sol no dia 25 de Dezembro. Esta é a razão pela qual os Três Reis “seguem” a estrela a Leste, numa ordem para se direcionarem ao do Nascer do Sol.

A Virgem Maria é a constelação Virgem. Em latim é Virgo. Virgo também é referida como a “ Casa do Pão”, e a representação de Virgo é uma virgem a segurar um feixe de espigas de trigo. Esta “Casa do Pão” e seu símbolo das espigas de trigo representam Agosto e Setembro, altura das colheitas. Por sua vez, Bethlehem, é a tradução à letra de “ A Casa do Pão”. Bethlehem é também a referencia á constelação de Virgem, um lugar no Céu, não na Terra.

Outro fenômeno muito interessante que ocorre a 25 de Dezembro é o solstício de Inverno. Entre o solstício de Verão ao solstício de Inverno, os dias tornam-se mais curtos e frios. Na perspectiva de quem está no Hemisfério Norte, o sol parece mover-se para sul aparentando ficar menor e fraco, ocorre o encurtar dos dias e o fim das colheitas, conforme se aproxima o solstício de Inverno simbolizando a morte. A morte simbólica do sol, no Vigésimo segundo dia de Dezembro, o falecimento do Sol está  completamente realizado, o Sol, tendo se movido continuamente para o sul durante 6 meses. Atinge o seu ponto mais baixo no céu.

Aqui ocorre uma coisa curiosa: o Sol parece deixar de se movimentar para o sul, durante 3 dias. Durante estes 3 dias, o Sol se encontra nas redondezas da Constelação do Cruzeiro do Sul, Constelação de Crux ou Alpha Crucis.

Depois deste período a 25 de Dezembro, o Sol move-se, desta vez para norte, criando a perspectiva de dias progressivamente mais longos, o calor e a Primavera, e assim se diz: que o Sol morreu na Cruz.
Esteve morto por 3 dias, apenas para ressuscitar ou nascer uma vez mais.

Esta é a razão pela qual Jesus e muitos outros Deuses do Sol partilham a idéia da crucificação, morte de 3 dias e o conceito da ressurreição. É o período de transição do Sol antes de mudar seu sentido para o Sul e dirigir-se ao Norte trazendo ao Hemisfério Norte a Primavera e assim: a salvação.

Todavia, eles não celebram a ressurreição do Sol até o equinócio da Primavera, ou Páscoa. Isto é porque no Equinócio da Primavera, o Sol domina oficialmente “o Mal”, “as Trevas”, assim como o dia se torna progressivamente maior que a noite, e o revitalizar da vida na Primavera emerge.

Agora, provavelmente a analogia mais obvia de todas neste simbolismo astrológico são os 12 discípulos de Jesus. Eles são simbologicamente as 12 constelações do Zodíaco, com que Jesus, sendo o Sol, viaja.
De fato, o número 12 está sempre presente ao longo da Bíblia.

12 tribos de Israel
12 Irmãos de Jose
12 juízes de Judá
12 profetas
12 reis de Israel
12 príncipes de Israel

[vslider name= "bannerbrasil"]

Voltando à Crus do Zodíaco, o elemento figurativo da vida é o Sol, isto não era uma mera representação artística ou ferramenta para seguir os movimentos do Sol, era também um símbolo espiritual Pagão, uma logografia similar a isto.
Isto não é um símbolo do Cristianismo. É uma adaptação pagã da cruz do Zodíaco. Representação essa que aparece em algumas igrejas cristãs do mundo de hoje.

Esta é a razão pela qual Jesus nas primeiras representações era sempre mostrado com a sua cabeça na cruz, Jesus é o Sol, Filho de Deus, a Luz do Mundo, o Salvador a erguer, que “renascerá”, assim como o faz todas as manhãs, a Glória de Deus que defende contra as Forças das trevas, assim como “renascer” a cada manhã, e que pode ser “visto através das nuvens”, “Lá em Cima no Céu”, com a sua “Coroa de Espinhos”, raios de sol.

Mateus 28:20
Mateus 12:32
Mateus 13:39
Mateus 24: 3
Luca 18:30
Corintios 3
Corintios 10

Agora, nas muitas referencias astrológicas ou astronômicas na Bíblia, uma das mais importantes  tem a ver com o conceito de “Eras”. Através das escrituras há inúmeras referencias ao termo “Era”. Para compreender isto, precisamos primeiro estar familiarizados com o fenômeno da precessão dos Equinócios.

Os antigos Egípcios assim como outras culturas antes deles, reconheceram que aproximadamente de 2150 em 2150 anos, o nascer do Sol durante o Equinócio da Primavera, ocorria numa diferente constelação do Zodíaco. Isto tem a ver com a lenta oscilação angular que a Terra possui enquanto roda sobre o seu eixo. É chamada de precessão porque este eixo caminha para trás nas constelações, em vez de cumpri o seu ciclo anual normal. O tempo que demora cada precessão através dos 12 signos é de 25,765 anos.

Este ciclo completo é chamado também, de “Grande Ano”, e algumas civilizações ancestrais conheciam-no bem. Referiam-se a cada ciclo de 2150 anos como uma “Era” ou “Eon”. De 4300 a.C a 2150ª.C foi a “Era do Touro”. De 2150 a.C a 1d.C foi a “Era de carneiro”,  de 1 d.C a 2150 d.C é a “Era de Peixes”. A Era em que permanecemos nos dias de Hoje, e por volta de 2150, entraremos na nova Era: “Era de Aquarius”.

Agora, a Bíblia refere-se, por alto, ao movimento simbólico durante 3 Eras, quando se vislumbra já uma quarta. No Velho Testamento, quando Moises desce o Monte Sinai com os 10 Mandamentos, ele está perturbado ao ver a sua gente adorando um Bezerro dourando. De fato, ele até partiu as pedras dos 10 mandamentos e disse a todos para se matem uns aos outros para purgarem o mal (Êxodo 32).


As maiores partes dos estudiosos da Bíblia atribuem esta ira de Moises ao fato de os Israelitas estarem adorando um falso ídolo, ou algo semelhante. A realidade é que o Bezerro Dourado é Taurus, e Moises representa a nova Era de Carneiro. Esta é a razão pela qual os Judeus ainda hoje assopram  um Cifre de Carneiro. Moises representa a nova Era de Carneiro, e perante esta, todos têm de “largar” a anterior.

Outras divindades tais como Mithra marcam esta transição também. Um Deus pré Cristão que mata o Touro, na mesma linha simbólica.

Agora Jesus é a figura representativa da Era seguinte à de Carneiro, a Era de Peixes, ou dos 2 peixes. O simbolismo de Peixes é abundante no Novo Testamento, assim com Jesus alimenta 5.000 pessoas com pão e “2 peixes” (Mateus 14:17). No inicio enquanto caminhava ao longo da Galiléia, conhece 2 pescadores, que o seguem.

Agora reflita se voltar a ver um adesivo “Jesus-fish”, “Senhor Jesus” (circunscrito numa figura de peixe), na traseira dos carros, muito poucos sabem o que aquilo no fundo representa. É um simbolismo astrológico pagão para o reinado do Sol durante a Era de Peixes. Jesus assumiu também que a data do seu nascimento é também a data do inicio desta Era, a próxima passagem será depois de ele ir embora, Jesus responde: “Eis que quando entrardes na cidade, encontrareis um homem levando um cântaro de água segui-o até à casa em que ele entrar.” (Lucas 22:10).


Esta escritura é de longe a mais reveladora de todas as referencias astrológicas. O homem que leva um cântaro de água é Aquarius, o portador da água, que é sempre representado como um homem a despejar uma porção de água. ele representa a Era depois de Peixes, e quando o Sol sair da Era de Peixes, entrará na Casa de Aquarius, e Aquarius é a constelação que se segue a Peixes na precessão dos equinócios.

Tudo o que Jesus diz é que depois da Era de Peixes chegará a Era de Aquarius.

Agora, já todos ouvem falar sobre o fim do mundo. À parte, o lado cartunista explicito no Livro de Apocalipse, a espinha dorsal desta idéia surge em Mateus 28:20, onde Jesus diz:

“Eu estarei convosco até ao fim do mundo”. Contudo, na tradução Inglesa da Bíblia, a palavra “mundo”, está mal traduzida, no meio de outras más traduções. A palavra realmente usada era “aeon”, que significa Era.

Eu estarei convosco até ao fim da era.

O que no fundo é verdade, Jesus como personificação Solar de Peixes irá ser substituída quando o Sol entrar na Era de Aquário. Este conceito de fim dos tempos e do fim do mundo é uma má interpretação desta alegoria astrológica.


Vamos dizê-lo: há aproximadamente 100 milhões de Americanos que acreditam que o fim do mundo está próximo.

Além disso, o fato de Jesus ser literal e astrologicamente um hibrido, só demonstra  o quando Jesus é um mito paralelo ao do Deus-Sol Hórus do Egito. Por exemplo, inscrito à 3.500 anos atrás, nas paredes do Templo de Luxor do Egito, estão imagens da anunciação, da imaculada concepção, do nascimento e da adoração a Hórus. As imagens começam com o anúncio à virgem Ísis de que ela irá gerar Hórus, e que Nef, o Espírito Santo irá engravidar a Virgem, e depois o parto e a adoração.

E que não é mais do que o milagre da concepção de Jesus. Na verdade, as semelhanças entre Hórus e Jesus são flagrantes.


Fonte: http://www.discorra.com/conheca-mais-cinco-deuses-nasceram-de-uma-virgem-num-dia-25-de-dezembro/

By: Kami GV.

sábado, 21 de dezembro de 2013

Litha - Solstício de Verão


Ritual que marca o primeiro dia do verão – é o dia em que o poder da luz se encontra acima da escuridão, garantindo poder e proteção. Celebra-se nesse dia a continuidade da vida – é sem dúvida alguma, mais um momento mágico da Natureza ao nosso redor…
Litha ou Solstício de Verão é quando o Sol está em seu ápice e mantém o seu maior brilho e elevação. O meio de verão, como é chamado, é celebrado pelas bruxas e bruxos pela sua abundância e plenitude no ano, trazendo fertilidade à Terra.
Litha é celebrado por volta de 21 a 22 de dezembro no hemisfério sul e por volta de 22 de junho no hemisfério norte. É o dia mais longo do ano, mas que também representa o declínio do Deus Sol. A partir deste dia, os dias vão ficando cada vez mais curtos, até chegarem ao ápice da escuridão no solstício de inverno. Por isso é considerado um marco que assinala o início da metade escura do ano, ao contrário do solstício de inverno.
É muito importante dizer que esta é a época em que ocorre o florescimento do carvalho.
O solstício de verão é tanto um festival de fogo que representa o aspecto de Deus quanto um festival da água que representa o aspecto da Deusa.
A Deusa e o Deus estão no êxtase de sua união e vemos a Natureza cheia de frutos e flores belas. É o ápice do amor entre ambos. A Deusa reina como a Rainha do Verão e o Deus aproveita seu auge, pois depois começará o seu declínio até renascer no inverno.
Devemos nos lembrar que a mudança é a essência da vida, pois tudo carrega dentro de si a semente do seu oposto. O Sol está com seu poder no auge, mas aos poucos começa a declinar. Vida e morte fazem parte de todos os aspectos na Natureza e também de nossas vidas.
Litha revela que após a união da Deusa e do Deus em Beltane, O Deus já está adulto, um homem formado, e tornou-se pai (dos grãos) – ele é o grande responsável pela continuidade da vida. Em sua plenitude e felicidade ele traz o calor do verão e a promessa total de fertilização com o sucesso da fertilização do ventre da Deusa.



Nesse momento o Deus, após cumprir a sua função de fertilizador, dá seu último beijo em sua amada e caminha ao país do Verão – utilizando-se o Barco da Morte para morrer em Samhain.
Outros povos também festejavam a abundância do verão com festivais semelhantes: Vestália (Roma), Dia dos Casais (Grécia), Festa de Epona (País de Gales), Thing-Tide (Escandinávia), Alban Heflin (tradição anglo-saxã) ou a Dança do Sol (nativos norte-americanos).
Por causa do solstício, existem os trópicos de Câncer e Capricórnio. No solstício de verão no hemisfério sul, os raios solares incidem perpendicularmente à terra na linha do Trópico de Capricórnio. No solstício de inverno, ocorre a mesma coisa no Trópico de Câncer.

Alguns antigos costumes do Solstício de Verão:
* Na Europa, as celebrações deste sabá foram absorvidas pela festa cristã de São João, cujo nome originou-se da erva usada com fins curativos e mágicos, como proteção ou para proporcionar sonhos e presságios.
* As homenagens aos seres da Natureza ou às divindades naturais também foram substituídas pelas populares e folclóricas festas juninas no Brasil.
* Antigamente, os casamentos eram celebrados em junho para garantir-se a fertilidade, sendo esta uma data muito propícia, embora diferente de Beltane, que era reservada aos ritos de fertilidade e ao Casamento Sagrado das divindades.
* Em Creta, o Ano Novo começava no solstício de verão, marcando o fim da colheita do mel. Para os cretenses, o zumbido das abelhas era a voz da Deusa anunciando a sua regeneração. O touro personificava o Deus e, ritualisticamente, era sacrificado para simbolizar a sua morte e seu renascimento das entranhas da Terra. A lenda do Minotauro representa nada mais nada menos do que a descida simbólica à escuridão, encarando os medos e encontrando os meios da regeneração, ao seguir o fio da vida tecido pela Deusa.

Blessed Be!

By: Kami GV

sexta-feira, 20 de dezembro de 2013

LITHA! Vamos nos preparar para o solstício de verão!



Litha é o melhor momento para fazer rituais na praia, ao ar livre, praticar divinação e brincadeiras, assim como cantar em homenagem aos Deuses Antigos, dançar e contar histórias em volta da fogueira.
Essa é a noite do Poder Mágico.

Símbolos: penas, disco solar, o Sol

Cores: laranja, amarelo, verde, azul, branco.

Deuses: todos os Deuses Solares (Mercúrio, Thor, Cernunnos) e Deusas da fertilidade.

Ervas: sálvia, menta, basílico, cebolinha, salsa, alecrim, tomilho, hissopo, madressilva, urze vermelha, urze branca, lavanda, samambaia, visco, verbena, musgo, íris, sorveira, carvalho, abeto, pinheiro, sementes de anis, aveleira.

Pedras: rubi, diamante, conchas do mar, quartzo branco, âmbar, citrino, olhos-de-gato, topázio amarelo, turmalina amarela, peridoto, cornalina, calcita, esmeralda, jade e aventurina

Alimentos: vegetais frescos e pão de cereais

Bebidas: vinho, leite, suco de laranja, limão e cerveja

Frutas: tropicais como o abacaxi, carambola, banana

Incenso: rosa, olíbano, mirra, pinho e limão.



Esta é a época excelente para nos conectarmos com as energias masculinas que estão em seu ápice, seguindo as velhas tradições.
Neste dia o Sol atingiu sua plenitude, ou seja, o Touro Dourado, o Sol, está em seu zênite. É o dia mais longo do ano. O Deus chega ao ponto máximo de seu poder. É tempo de se render homenagens ao Sol, que fertiliza toda a natureza. Neste dia pode-se fazer todos os tipos de feitiços. Mas não devemos nos esquecer que, embora o Deus esteja em sua plenitude, é nessa hora que ele começa a declinar. Logo ele dará o último beijo em sua amada, a Deusa, e partirá no Barco da Morte, em busca da Terra do Verão. Tudo no universo é cíclico, devemos não só ligarmos à plenitude, mas também aceitar o declínio e a Morte, neste dia, costuma-se fazer um círculo de pedras ou de velas vermelhas.
Queimam-se flores vermelhas ou ervas solares (ex.: Camomila) juntamente com os pedidos no caldeirão.É época também de se colher ervas e fazer amuletos protetores. O corpo e o físico são reverenciados nesta época.

Sugestões para decorações de altar podem incluir maçãs e penas. Direcione suas orações de abundância e prosperidade para Danu, a Deusa Mãe Celta.
Muitos monumentos antigos estão alinhados com o Sol neste momento da Roda do Ano céltica, o mais famoso deles é Stonehenge na Inglaterra.

Atividades: 
*Pular uma Fogueira, um Caldeirão com chamas ou uma vela.
*Pintar Runas e outros símbolos mágicos em pedaços de madeira, conchas, papel, pedras; consagrá-los e pendurá-los em suas portas e janelas para proteção.
*Colher ervas e plantas mágicas nesse dia.
*Fazer um Bastão Mágico.
*Fazer uma Cruz Solar e pendurá-la no seu jardim ou porta, decorá-la com elementos da Natureza.
*Fazer uma Coleira de Bruxa (Witch’s Ladder) que represente a necessidade que você precisa alcançar.
*Acender velas, fazer oferendas e libações ao Povo das Fadas.
*Pendurar ervas na lareira, sala e cozinha para secarem.

Fazendo um Roda Solar :



A Roda Solar é utilizada desde tempos remotos como símbolos do Sol.
É especialmente feita em Litha para representar o apogeu do Sol e colocada na Natureza como oferenda aos elementais ou pendurada em nossa casa como um amuleto protetor.
Para fazer uma Roda Solar você vai precisar de: •

Galhos e ramos maleáveis,
Fitas e símbolos mágicos relacionados à proteção.

Entrelace os ramos maleáveis fazendo uma circunferência.
No interior dessa circunferência estabeleça uma linha vertical, utilizando mais galhos e ramos. Faça uma linha horizontal, cruzando a vertical, formando assim uma cruz de braços iguais dentro da circunferência.
Enfeite sua Roda Solar com as fitas e os símbolos escolhidos.
Pendure-a em uma árvore, numa porta ou parede de sua casa, enquanto diz:



Pelo Terra e pelo Ar,
Pelo Fogo e pela Água,
Esta Roda Solar será pendurada.
Que Ela possa me proteger e todo o mal afastar
E que a Deusa e o Deus possam me abençoar.
Pela força e pela Magia e pelos poderes das Graças,
Que assim seja e que assim se faça!

Blessed Be!

By: Kami GV 

quinta-feira, 19 de dezembro de 2013

19 de Dezembro Celebramos...



Festa de Opália, celebrando o aspecto de fertilidade da deusa Ops, em Roma.
Ops era uma deusa da Terra, protetora de tudo o que é associado à agricultura. Como Ops Consiva, “A Senhora da Planta”, ela era reverenciada nos plantios e nas colheitas. Em seu aspecto de Opífera, era a padroeira dos partos e protetora dos recém-nascidos. Considerada um dos aspectos da Magna Mater, ela também era conhecida como a deusa Patella, “a que abria o invólucro das sementes para que o broto pudeesse sair” e a deusa Runcina, “a que facilitava o corte das hastes na colheita”.

Comemorações para as deusas romanas Sabina, da fertilidade e Orbona, a protetora das crianças órfãs ou com doenças terminais.
Dia dos Mortos no Egito. As pessoas deixam lamparinas acesas e comida nos túmulos em homenagem aos familiares falecidos.

Fonte:https://www.facebook.com/Valedemorrigan
Fonte da fonte:O Anuário da Grande Mãe - Mirella Faur.

By: Kami GV. 

terça-feira, 17 de dezembro de 2013

Pedra da Lua arco-íris (Rainbow Moonstone)



The Rainbow Moonstone é visto como uma pedra misteriosa e é tão antiga quanto a própria lua e feitas de minerais de feldspato que tem uma opacidade suave, aguado e um reflexo branco-prateado chamado chatoyancy. Embora existam muitas variações de cores, a melhor pedra da lua é incolor com um brilho azul. Moonstone deve o seu nome ao jogo de luz em sua superfície que muda quando a pedra é movida. Como o sol na lua. Um sinônimo de pedra da lua é "adularia", o grupo feldspato encontrada nos Alpes europeus perto do grupo Adula. Outra é "Selenita", a Deusa da Lua grega Selene. 
The Moonstone leva você a uma jornada interior de auto descoberta e recupera as partes de você que estavam faltando, esquecidos ou deixados para trás. Uma pedra muito pessoal, que reflete a pessoa que o possui. Esse cristal traz-lhe uma conexão com a magia da lua. Tudo se ligados uns aos outros, o que significa que estão ligados à lua. Ela influencia os nossos comportamentos, nossas emoções e crescimento espiritual, enquanto a lua aumenta e diminui. Devido à sua qualidade edificante de esperança, também pode ser usado como um talismã para melhorar a personalidade. Alinhado com a Deusa, do arco-íris Moonstones pode se conectar com as energias e espíritos da natureza. O Moonstone é mais poderosa quando a lua está cheia. Colocá-la à luz da lua cheia, faz chegar a sua plenitude.

Palavras chave :  traz a boa fortuna, Assistências em predizer o futuro, aumenta a intuição, promove a inspiração, traz sucesso no amor, assim como assuntos de negócios, oferece proteção em terra e no mar. 

Cores:  Incolor, Verde, Laranja, Rosa, pêssego, amarelo, Azul, cinza, branco e uma variedade conhecida como arco-íris Moonstone. 

Habitat : Estados Unidos, Brasil, Alpes Europeus, Índia, Madagascar, México, Mianmar, Sri Lanka, Birmânia e, na Tanzânia. 

Energias:  Fertilidade, calma, amor, proteção, Paixão . 




The Rainbow Moonstone e culturas antigas.
Os romanos utilizaram-lo como jóia por muitos anos, assim como a cultura oriental. 
Na Índia, a Moonstone é visto como sagrado, especialmente para os amantes, e por isso é um presente de casamento tradicional. Acredita-se também que traga boa sorte e bons sonhos na cultura indiana. Uma escolha popular para jóias no período Art Nouveau, e na Europa, acreditava-se reconciliar os amantes afastados e para curar a insônia. Na cultura árabe as mulheres muitas vezes costuravam a pedra em suas roupas uma vez que esta pedra preciosa foi vista como um símbolo de fertilidade.

Usos e finalidades.
Conhecida como a Pedra Traveler(viajem), Moonstone protege aqueles que viajam de noite ou sobre a água, quando a lua está brilhando. Uma boa ideia é manter uma no porta luvas para uma noite segura ao dirigir, esta pedra é uma grande aliada contra a raiva na estrada. Moonstone abre o coração para nutrir qualidades, bem como auxiliar na aceitação do amor. Um excelente cristal para o primeiro ou um novo amor. Acreditava-se que reunia os entes queridos que se separaram em raiva. 
É a pedra de erotismo, estimulando a energia Kundalini e desejos carnais. 
É o cristal da fertilidade. Um colar Moonstone usado durante o ato sexual na lua cheia harmoniza o corpo no ciclo lunar natural. Esta jóia pode ajudá-lo em sua jornada rumo à auto-descoberta e dá-lhe uma grande ligação com a lua de muitas maneiras. Esta pedra é muito mágica. Alguns acreditam que pode ser usado para equilibrar Yin e Yang. 
Uma pedra visionária, traz inspiração, fortalece a intuição e sensibilidade, aumenta a criatividade, permite ao usuário ver as situações de diferentes ângulos, e ajuda a ver as coisas mais claramente. Alguns pensam que esta pedra edifica a auto-confiança, melhora a compaixão, e promove a felicidade e longevidade. Difunde energia em toda a Aura, oferece proteção psíquica, limpa a mente e os sentidos, ajuda na sonho lúcido, e desvia a negatividade e facilita trauma emocional.

Saúde Física.
Acredita-se que sirva para reduzir o inchaço causado pelo excesso de fluidos no corpo, alinha as vértebras e ajuda com problemas menstruais, problemas hormonais, obesidade, problemas no sistema digestivo e doenças da glândula pituitária. Ajuda a sintonizar com os ritmos normais das forças biológicas de seu corpo e utilizar os ciclos naturais de energia. Afeta o sistema reprodutor feminino, aumentar a fertilidade e promover a facilidade na gravidez e no parto.

Meditação.
uma pedra excelente para usar em meditação para compreender a si mesmo.
muitas vezes, revela a peça que faltava ou peças do quebra-cabeça da vida, partes da alma que foram deixados para trás ou esquecido. Também é ideal para a regressão a vidas passadas.

Propriedades curativas.
É usada por curandeiros para estimular a glândula pineal e para equilibrar os ciclos hormonais internos com os ritmos da natureza. A Pedra da Lua é uma pedra de crescimento e força interior. Muitas vezes considerado como uma pedra para as mulheres, mas pode ser benéfico para os homens que estão se abrindo para a auto conhecimento emocional também.

Chakras.
As Energias Branco Cristal presentes em todos os Moonstones tem uma associação com o Chakra da Coroa e nosso centro espiritual. Eles representam a identificação pessoal com o Infinito, e unidade com Deus, paz e sabedoria.
O Chakra da coroa está localizado no topo da cabeça. Ele controla a forma como pensamos e como nós respondemos ao mundo que nos rodeia. Ela nos conecta aos planos superiores de existência e é a fonte de Energia Universal e da verdade. Quando a coroa está em equilíbrio, nossas energias estão em equilíbrio. Sabemos o nosso lugar no Universo e vemos as coisas como elas são. Moonstone limpa e tira a negatividade de todos os chakras, e fornece energia suplementar em apoio para equilibrar os corpos físico, emocional e intelectual. Ele fornece alimento e sustento espiritual para ajudá-lo através de todas as alterações.

Energia Espiritual.
A pedra de esperança e pureza espiritual através da negação do Ego. Combate o materialismo e fortalece a fé de pessoas religiosas em todas as culturas. Abre a mente para quem esta esperando e desejando, inspiração e impulso, serenidade e sincronicidade. Ele traz flashes de insight, banindo o negativo, mantendo-o longe. No entanto, concede reconhecimento intuitivo e permite absorver o que é necessário a partir do Universo.

Energia da cor. 
Moonstones pode transportar Branco cor energia, a personificação da limpeza, pureza, a unidade e a inocência. Os poderes atemporais, naturais dos raios brancos são os da lua, a cor que vemos quando a lua reflete a luz do sol. É a cor dos ciclos naturais, nascimento e regeneração. Assim como a lua é a nossa única iluminação no mundo escuro da noite, talismãs brancos são do mundo espiritual que é detectado, mas não visto, os guias para o entendimento e conhecimento que nem sequer sabem que existe.

Ela pode ajudá-lo de muitas maneiras. Especialmente desde que nós estamos vivendo em um mundo tão materialista, a pedra da Lua pode ser de grande utilidade para suprimir esses sentimentos de necessidade para o lado materialista da vida. 


Fonte:http://newageearthlings.wordpress.com/2013/06/23/rainbow-moonstone/

By: Kami GV

sexta-feira, 13 de dezembro de 2013

quarta-feira, 11 de dezembro de 2013

Data sequencial (curiosidade)



Para a maioria é apenas mais uma coincidência numérica no calendário. Mas há quem acredite que a data que abriga a sequência 11/12/13 – a última do tipo neste século – representa um momento de novas energias e ideal para grandes mudanças, decisões e desafios.

Apesar de não ter um significado específico para a astrologia, a data possui uma combinação numérica curiosa e que, segundo a numerologia, é marcada por uma sequência de números que impulsionam a transformação.

“O onze é o número da força e determinação. O doze representa o início de um ciclo de transformação e enfrentamento de novos desafios. Já o treze é decisivo, indica o fim necessário, ou seja, se a pessoa não fizer o que tem que fazer nesta data, corre o risco de nada mais mudar”, aponta a numeróloga e taróloga Lúcia Helena Fiorelli".

Fonte: https://www.facebook.com/Valedemorrigan

By: Kami GV

segunda-feira, 9 de dezembro de 2013

A Mulher e o poder Menstrual


Os rituais de sangue permitiam uma comunhão com forças mais profundas da vida. Houve uma época na humanidade onde homens e virgens eram sacrificados para aplacarem a ira dos deuses. Os antigos profetas imolavam carneiros para Deus. Vestígios dessa época ainda podem ser encontrados em alguns cultos afros onde sacrificam animais e aves.

Existiam cerimônias e pactos que eram feitos com sangue. Alguns nativos cortavam suas mãos e enconstavam os ferimentos uns nos outros como um pacto de amizade. Até hoje, nativos americanos realizam o "Sundance", e ao redor do planeta, muitas seitas praticam a auto-mutilação. Eliphas Leví dizia que o sangue é a vida do homem, a primeira encarnação do fluido universal, a luz vital materializada. Em muitas culturas e épocas, o sangue respondia como veículo de potência, vitalidade, força de vida, espírito fluido, etc.

Hoje podemos conectar essa energia de fogo que é o sangue, através da consciência, do amor, da intenção, da alma, sem ter necessidade de utilizar uma vida, seja do animal mais insignificante, para aparelharmos esse poder. Um bom ritual e cerimônia que podemos fazer com o sangue para os dias de hoje é doá-lo. Lembrando que estamos doando vida. E o Universo o recompensará por essa doação em outra forma de energia. Isso terá muito poder.


A mulher sente muito claramente a renovação em seu próprio corpo no ciclo menstrual. Uma das diferenças, no pensamento nativo, é a forma como as mulheres encaram a menstruação. A maioria das mulheres só agradecem sua menstruação quando estão preocupadas com uma gravidez indesejável. Geralmente a amaldiçoam dizendo coisas do tipo :- Que saco! Vou ficar menstruada justo na sexta-feira ! ou Todas as vezes que menstruo fico irritada ! e por aí vai...

Já a consciência nativa reconhece que a menstruação é um “Momento de Poder” para a mulher. A consciência nativa abençoa a menstruação. Na nossa sociedade é cada vez maior o número de mulheres que sofrem por tpm. Sempre que alguém amaldiçoa uma determinada parte do corpo ou de suas funções naturais não pode esperar outra coisa que não desequilíbrio. As nativas norte-americanas realizam um importante rito de passagem da criança a puberdade. 

Estes ritos se realizam depois da primeira menstruação. É um momento importante porque a menina se transforma em mulher. Ela deve entender o significado desta mudança e conhecer os deveres que deverá cumprir de agora em diante. Ela compreende que essa mudança chegou até ela de forma sagrada e , assim como a Mãe Terra, ela poderá ter filhos e ensina-los a viver de um maneira sagrada. Ela também deverá saber que a cada mês, quando chega sua menstruação ela recebe uma influencia, que deverá observar e tomar cuidado, pois nessa condição ela poderá neutralizar o poder de um xamã.


O sangue está muito relacionado com a Lua . Para os nativos americanos, quando as mulheres estão menstruadas eles dizem que estão " de lua ". Os nativos reconhecem que menstruar é uma parte importante na vida de uma mulher. Um ritmo que é vital para a saúde psíquica e física. Os nativos americanos reconhecem que na menstruação a mulher atinge o nível mais alto do seu poder espiritual onde a atividade mais apropriada é o descanso e recolhimento para acumular sabedoria. Uma mulher menstruando tem o potencial de ser mais poderosa do que qualqer mulher ou qualquer homem, em qualquer momento.

Em algumas tradições a mentruação era considerada como um tempo especial e sagrado. Nas culturas matricarcais o sangue era uma forma de reverenciar a Deusa. O sangue era valorizado por ter podêres mágicos. Em algumas tradições,o sangue menstrual era oferecido em cerimônias. Era sagrado para os Celtas, Egípcios, tântricos, etc. Uma cerimônia simples pode ser feita, onde a mulher cava um buraco na terra e de cócoras deixa o sangue menstrual ir para a terra, colocando os pensamentos negativos sobre a feminilidade e pedindo para a terra transformar a energia negativa que existe ao redor da sua natureza feminina, pedindo equilíbrio e consciência. 

Hoje é muito comum a crise nas adolescentes, que balançam entre meninas X adultas. Perdemos nossos rituais de passagem. Na tenda da Lua as mulheres ficavam o período menstrual recolhidas , contando estórias, e recebiam as meninas que estavam no primeiro ciclo menstrual. O sangue era colhido num visgo, folha , era oferecido na beira do Rio para Vovó Lua e Mãe-Terra. As meninas entravam como adolescentes e na saida eram mulheres. Na tenda todas ofereciam seu sangue para Mãe-Terra, e as mais velhas ensinavam as mais novas os segredos e a arte de " SER MULHER ". 




O corpo é uma pista que leva a compreender o que estamos fazendo em níveis não-físicos. O desequilíbrio menstrual mostra a necessidade de honrar a vida, de realizar mudanças e ajustes. Li num artigo que uma das causas mais comuns de todas as queixas ginecológicas é a dismenorréia, menstruação dolorosa, provocando faltas das mulheres no trabalho, na escola e em outras atividades. 

No xamanismo trabalhamos com o poder, com a força da vida. Quando uma mulher está menstruada, ou no tempo-da-lua, sua carga de poder é maior. Os campos de poder possuem leis naturais e físicas. Existe um pensamento, que quando existem dois campos de poder, o com menor força flui em direção ao de maior força. Quando uma mulher está em tempo-de-lua, com a carga de poder maior, e numa situação cerimonial, onde haja muita liberação de emoções (tenda do suor, por exemplo) as cargas emocionais iriam em direção a ela. 

Há outro pensamento que diz que a mulher menstruada cria um campo de rotação de força da vida no sentido anti-horário. Nas cerimônias xamânicas integra-se o sentido dinâmico da terra e das forças solares no sentido horário, o que pode interferir no poder da cerimônia.Para quem não conhece as tradições nativas, o fato da mulher menstruada não participar de algumas cerimônias pode parecer preconceituoso ou discriminatório, mas não é. As nativas americanas acreditam que “em sua lua” ficam muito poderosas e as energias não misturam bem com a tenda do suor. 


Elas liberam seu sangue na terra e aproveitam essa energia poderosa das visões que vem no tempo-da-lua. As fontes de inspiração e de profecia são consideradas tão sagradas, que os sonhos, pensamentos e visões obtidos no tempo-da-lua são ouvidos pela comunidade inteira. Nós estamos vivendo presentemente a necessidade de uma estadia nova, inteira na terra, florescendo da árvore da vida. Nativos americanos acreditam que muito encontra-se ainda dentro do útero do mistério, no útero da Mulher Búfalo. Nós estamos sendo chamados para trazer adiante uma realidade que está esperando por nós, para despertarmos no sonho. Encontrar o sonho é a função do ciclo da lua, especialmente para as filhas da terra, cujo o sangue se expressa com as marés da tração da Avó Lua.



POR BROKE MEDICINE EAGLE 

Os mistérios do sangue ensinam que o sangue menstrual e o sangue do nascimento é o mesmo sangue, é o sangue universal, sangue do poder, sangue curativo.
Os mistérios do sangue ensinam-nos recordar que vida e saúde são vindas de à mulher, à mulher sábia, à mulher que sangra e sangra. E não morre.
Os mistérios do sangue revelam que o sangue menstrual e o sangue do nascimento são universais, cheio de potencial, cheio de vácuo, que devem ser usados para curar.
O sangue do amor, sangue da abundância, o sangue que cura a terra.
Os mistérios do sangue recordam o imenso poder da mulher, o poder do sangramento. Quando nós sangrarmos na terra (na realidade ou o fantasia) nos reencontramos com o poder, enquanto nosso sangue corre através do chakra pessoal da raiz e na terra.

Sangrando na terra, sangrando livremente, nos como mulheres, como nutridoras da vida, como doadoras, nutridoras das plantas, doadoras da nutrição universal - nosso sangue do tempo da lua :
"Eu sou mulher que dá a nutrição para assegurar a vida deste planeta. Com meu poder do tempo da lua, meu sangue, com meu poder do nascimento, meu sangue, eu alimento a terra alimenta a todos.
Cada mês eu recordo: Eu sou mulher. Eu sou terra. Eu sou vida. Eu sou nutrição. Eu sou mudança. Eu sou inteira. Eu sou mulher. Eu sei a vida, a morte, a dor, e a saúde em meu útero. Eu conheço os lugares sangrentos: o espaço estreito entre a vida e a morte, o lugar de nascimento sangrento, o fluxo sangrento da vida nutridora, o fluxo sangrento de deixar a vida ir. Eu sou mulher. Meu sangue é poder. Poder calmo. Sangue calmo. Meu sangue é nutrição integral. Meu sangue nutre o feto crescente.

Meu sangue transforma-se em leite para a criança nova. Meu sangue flui na terra como o nutrição para a Grande Mãe Gaia, a Mãe Terra. Gaia, cujas as maneiras são sangrentas. Mulher, cujas as maneiras são sangrentas. Sangue da nutrição. Mas sangrento. Sangue menstrual sangrento, sangue sangrento do nascimento. Sangue da paz, sangue nutridor. Sangue de saúde, não do sacrifício.

A tradição sábia da mulher é uma mulher sangrenta-entregue. A saúde está mudando sempre. A vida é misteriosa, movendo-se nas espirais da mudança. Espirais que movem-se completamente para o vácuo. A mudança que faz a abertura que nos permite ver o presente saudável . Sente-se, irmã, no musgo verde macio, e dê-se seu sangue sagrado da lua à terra, à espiral da vida. Deixe o fluxo vermelho do sangue do seu útero juntar-se ao verde e marrom da terra. 

Sente-se aqui. Relaxe e feche seus olhos e deixe as visões virem. Descanse agora e dê seu sangue da lua para nutrir a mãe que nos nutre. Relaxe e deixe as visões virem."

A época do sangramento menstrual, de acordo com a tradição da mulher sábia, é um momento das visões. Toda a mulher que prestar atenção a estas visões encontrará o poder dos xamã, das bruxa, das mulheres medicinais. Adicione um pouco de folhas vermelhas a suas misturas herbais, com exceção da hera.

Evoque o poder do sangue menstrual. Isso fará à medicina. Estes são os poderes naturais de mulheres menstruando, e em menopausa, e em início de menopausa: Ligação com a terra como uma presença responsável e nutridora


Nunca se envergonhe disso, não deixe o patriarcalismo diminuir você, e fazer de seu sangue sagrado um pecado. Sinta-se como a verdadeira Deusa, nutridora do mundo, que despeja em sua terra o sangue da vida. O sangue da Lua!

Fonte: https://www.facebook.com/Rosea.Bellator

By: Kami GV

domingo, 1 de dezembro de 2013

1° DE DEZEMBRO - CELEBRAMOS...



Dia dos seres elementais, nos países eslavos. os povos eslavos acreditavam na existência de vários tipos de elementais ou o "Pequeno Povo", como eram chamados nas tradições celtas. Os Domovoj eram os elfos caseiros; eles moravam atrás das lareiras nas casas que eles tinham adotado e eram extremamente leais às famílias que os abrigavam. Os Bannik viviam nos banheiros e gostavam de encontrar uma vasilha com água fresca colocada ao seu dispor após o anoitecer. Os Vazila cuidavam dos cavalos e os Bagan, das cabras e das ovelhas. Já o Leshi era o Senhor das Florestas, cuidando de todos os animais e podendo tornar-se malévolo e perigoso nos meses de verão. Os Poleviki, os elfos dos campos, viviam nos trigais e prejudicavam as colheitas se não recebessem agrados e respeito.

Independente dos nomes ou características específicas às culturas e lugares, os seres elementais estiveram sempre presentes na Natureza, dispostos ao convívio amistoso com os seres humanos desde que houvesse respeito e colaboração recíproca. Procure entrar em contato com os elementais de seu ambiente próximo: jardim, campo, porão, sótão, cozinha ou escritório. Procure atraí-los ou agradá-los oferecendo-lhes leite, mel, gengibre, canela, nozes, frutas cristalizadas, flores, cristais, pedaços de prata ou pirita, músicas de flautas, gaitas ou harmônicas, essências florais, sucos de frutas e velas coloridas. Comunique-se telepaticamente com eles, pergunte-lhes quais seus nomes e preferências e peça-lhes que cuidem de suas coisas, animais de estimação, plantas e propriedade. Uma vez prometendo-lhes algo em troca, jamais esqueça sua promessa, pois eles se irritam facilmente, tornando-se vingativos, maldosos e podendo lhe trazer inúmeros aborrecimentos ou prejuízos.

Homenagens celtas para as Senhoras Verdes, os elfos que moram nos carvalhos, teixos, salgueiros, freixos, pinheiros ou macieiras. Todas as árvores deveriam ser tratadas com respeito para que as Senhoras Verdes não se ofendessem. Eram elas que davam a permissão para que os galhos fossem cortados ou os frutos colhidos.

Fonte:https://www.facebook.com/Valedemorrigan
Fonte da Fonte:O Anuário da Grande Mãe - Mirella Faur (p. 286)

By: Kami GV

sábado, 30 de novembro de 2013

Estranha Melodia 04 - Caldeirão de Bruxa

Estranha Melodia 04 - Caldeirão de Bruxa - Michel Ramalho e Camila Simões

E aí galera!
Venho, com muita alegria e satisfação, trazer pra vocês mais um Estranha Melodia! Sim! Chegamos ao quarto volume e dessa a nossa aventura vêm recheada de magia! Leia agora! (disponível também no blog Estranha Noite)
E desde já queremos agradecer a todos que apoiaram, todos que têm acompanhado o projeto e toda a força que temos recebido! 
Esperamos que gostem dessa nova jornada, tanto quanto as que a antecedem! Apreciem a leitura, compartilhem a ideia e deixem seus comentários pra gente!


Logo traremos a versão impressa pra vocês e novamente por uma contribuição totalmente acessível, graças aos nossos apoiadores!
Parceiros - Estranha Melodia 04 - Caldeirão de Bruxa - Michel Ramalho e Camila Simões

quarta-feira, 27 de novembro de 2013

Cientistas russos afirmam: Nova Era Glacial começará no ano que vem.


Contrariando a teoria de aquecimento global, dois cientistas russos afirmam que a Terra se aproxima rapidamente de um novo período glacial, que começará a partir do ano que vem. Os pesquisadores Vladimir Bashkin e Rauf Galiulin, do Instituto Gazprom VNIIGAZ, acreditam que os seres humanos, na realidade, não exercem grande influência nas mudanças climáticas. Eles defendem que planeta está, na verdade, passando por diferentes ciclos de atividade solar, e a próxima fase será marcada por um decréscimo gradual da temperatura até atingir um pico glacial em 50 anos.   

 E os pesquisadores não param por aí. A dupla alega que o alarde atual em torno das mudanças climáticas é parte de uma conspiração com objetivo de desacelerar o consumo de petróleo, gás e carbono - três insumos essenciais à vida moderna -, e controlar os preços deste mercado. Apesar de polêmicas, as declarações dos dois cientistas não representam uma opinião isolada. No ano passado, Jabibula Absusamatov, diretor do setor de Investigações Espaciais do Observatório de Pulkovo e membro da Academia Russa de Ciências, confirmou a previsão de que a temperatura do planeta começará a baixar em 2014, alcançando seu pico de redução em 2055. 

Fonte:http://noticias.seuhistory.com/cientistas-russos-afirmam-nova-era-glacial-comecara-no-ano-que-vem?fb_action_ids=585747428140577&fb_action_types=og.likes&fb_source=other_multiline&action_object_map=%5B579341588803945%5D&action_type_map=%5B%22og.likes%22%5D&action_ref_map=%5B%5D

Que sejam eternos os 17.
By: Gothic Vampire.